Vai empreender? 15 dúvidas mais comuns que você pode ter

Muitos brasileiros que se tornam empreendedores não são familiarizados com conceitos e termos importantes. Não é à toa, muitos ficam perdidos quando precisam lidar com o planejamento financeiro e lidar com a contabilidade. Neste post, você descobre tudo o que precisa saber sobre termos contábeis. Acompanhe!

Se tornar um empreendedor é o desejo de muitos brasileiros, ainda mais neste momento onde a taxa era de 13% em junho de 2020. 

No entanto, grande parte dos empresários não sabem os termos utilizados. Essas questões vão desde o planejamento estratégico até as questões contábeis. 

Se você ainda não sabe o que é planejamento estratégico ou até mesmo analise SWOT, não se preocupe! Está no lugar certo. 

Ao longo deste post, você descobre 15 termos e dúvidas que você terá que lidar ao empreender. Quer saber mais? Continue a leitura e veja: 

  • O que é planejamento estratégico e como fazê-lo?
  • O que é a análise SWOT?
  • Metas e objetivos contábeis: quais são as suas diferenças
  • O que é escalabilidade de negócios
  • O que é Capital Social
  • O que é um regime de tributação
  • O que são obrigações acessórias?
  • Quais são as principais peças contábeis da minha empresa?
  • Qual a diferença entre custos, despesas e investimentos?
  • Qual é a diferença entre custos fixos e variáveis?
  • O que é capital de giro
  • O que é ponto de equilíbrio
  • Como apurar o lucro de um negócio
  • Controle de estoque: o que é e como fazê-lo
  • Qual a diferença entre preço de custo e de venda?
  • Quer empreender? A Tupi Brazil Solution pode te ajudar nessa nova etapa 
Pacote promocional - folha de pagamento + contabilidade + financeiro

1- O que é planejamento estratégico e como fazê-lo?

O planejamento estratégico nada mais é do que uma ferramenta para auxiliar na gestão de todo empreendedor. 

Essa ferramenta tem por fim auxiliar na compreensão dos resultados da empresa, para que você enquanto gestor saiba qual a melhor direção seguir. 

Para isso, você pode elaborá-lo no início da empresa ou pode aplicá-lo em lançamentos pontuais de novos produtos ou serviços. 

Recomenda-se que todo microempreendedor utilize o planejamento estratégico no início do negócio, pois é neste momento que se descreve quais são os objetivos e metas. 

Deste modo, se você quer ser tornar um empreendedor, saiba que para ter um bom planejamento estratégico não há necessidade de recursos adicionais. 

O importante é ter pleno conhecimento dos seus negócios e ter clareza em suas metas. 

Com isso, você já é capaz de se destacar, ou melhor, de se manter no mercado altamente competitivo. 

2. O que é a análise SWOT?

A sigla SWOT é derivada das palavras, em inglês: Strengths, Weaknesses and Opportunities, Threats.

No português ficaria traduzido mais ou menos por: forças, fraquezas, oportunidades e ameaças.

A ferramenta auxilia o gestor a fazer análises do ambiente como um todo, ou seja, avalia uma série de variáveis que compõem o cenário do seu negócio. 

Cada um dos conceitos necessita de uma analise diferenciada e para isso, pode-se utilizar os seguintes parâmetros: 

  • Forças: significa avaliar as vantagens da empresa em relação aos seus concorrentes. Exemplos disso são a qualidade dos produtos oferecidos e serviços prestados aos clientes, a solidez financeira e muitos outros;
  • Fraquezas: identificar as desvantagens internas da empresa diante os seus concorrentes, por exemplo: custos de produção elevados, instalações inadequadas, marca fraca, entre outros;
  • Oportunidades: classificar os aspectos internos e externos positivos que podem proporcionar uma vantagem competitiva para o estabelecimento. Por exemplo: localização geográfica, alguns benefícios fiscais, entre outros;
  • Ameaças: definir os pontos negativos, da área interna e externa, que podem colocar em risco a viabilidade do seu negócio. Podemos citar como exemplo: novas empresas, saída de colaboradores, modificações na economia etc.

Ao analisar os 4 pilares, você terá possivelmente um guia para se manter atualizado e evitar ações e decisões erradas ao empreender. 

3. Metas e objetivos contábeis: quais são as suas diferenças

Os objetivos de um empreendedor são muito importantes para ter um norte de tudo que a empresa pretende conquistar.

Neste sentido, quando se trata de objetivos de um microempreendedor, são abordadas as visões maiores. 

Em sua maioria, os objetivos são a médio e longo prazo e dependem de pequenos prazos para serem cumpridos. 

No caso das metas, são fragmentos dos objetivos macros. 

Portanto, tanto as metas quanto os objetivos devem sempre ter um prazo definido para acontecerem. 

Ou seja, é muito importante definir uma data para atingir cada um dos planos que você traçou.

4. O que é escalabilidade de negócios

A escalabilidade de negócios nada mais é do que a capacidade de um negócio de se desenvolver e crescer. 

Neste sentido, é possível dizer que o conceito é uma analise que deve ser realizado antes de se investir dinheiro em um novo negócio, ao se tornar um empreendedor. 

Para tanto, é fundamental avaliar se ele é escalável, em outras palavras, é importante analisar se ele tem chances de crescimento com o passar do tempo.

Isso é importante principalmente quando não se tem muito capital para investir no início do negócio. 

5. O que é Capital Social

O capital social é o montante que os sócios ou acionistas injetam no início de uma empresa para a sua abertura. 

Ou seja, o capital é basicamente a quantia investida para que o empreendimento passe a dar os primeiros passos. 

Qualquer empresa pode ter dificuldade de gerar receita o suficiente para cobrir as suas empresas e por isso, o capital social é fundamental. 

Através dele é possível ter uma segurança maior em relação aos gastos contábeis da empresa. 

O conceito de capital social pode ser dividido em duas partes: 

  • Subscrito: nele é informado o valor que cada sócio pretende integralizar. Isso pode ocorrer com pessoas que abrem empresas, mas ainda não têm todo o recurso para poder injetar no negócio; 
  • Integralizado: é o montante que foi passado para a empresa. Sendo assim, é a fase que o sócio, que subscreveu anteriormente, faz a transferência total do montante para a empresa, consideramos que ele foi integralizado.

Na maioria dos casos, o capital social não tem um valor pré-determinado e por isso, pode-se abrir uma empresa com qualquer valor. 

Porém, quando opta-se por abrir uma empresa EIRELI – Empresas Individuais de Responsabilidade Limitada, necessita-se de um capital totalmente integralizado de no mínimo 100 salários mínimos, de acordo com o vigente no país.

6. O que é um regime de tributação

O regime de tributação é o que determina a metodologia de cálculo dos tributos do seu negócio. 

A Legislação Fiscal permite que você selecione o regime que melhor se encaixa em seu negócio. 

Para tanto, é necessário conhecer cada um deles e os principais fatores que devem embasar a escolha.

Nesse sentido, quando essa definição é feita de forma equivocada, o seu negócio pode acabar tendo que pagar mais impostos do que realmente era devido.

Para compreender melhor, detalhamos a seguir três regimes de tributação. Continue a leitura!

Simples Nacional

É o mais comum dos regimes de tributação. As empresas que optam por ele possuem um faturamento acumulado, nos últimos 12 meses, de até R $4.8 milhões. 

No entanto, embora seja uma modalidade que permite mais facilidades, ela pode ser prejudicial para o empreendedor. 

Uma vez que os tributos são calculados levando em consideração apenas as receitas do negócio. 

Ou seja, empresas que possuem um número maior de gastos podem ser prejudicadas se se mantiverem no Simples Nacional. 

Lucro Presumido

O Lucro Presumido é uma modalidade que muitos empreendedores escolhem, principalmente, aqueles que exercem algum tipo de atividade que não pode ser enquadrada no Simples Nacional. 

O regime de tributação é diferente de todos os outros e está relacionado à forma de cálculo de dois tributos incidentes sobre o faturamento: o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

A base de cálculo para aplicação das alíquotas dos impostos é fixada pela Receita Federal e pode variar entre 1,6% a 32%, dependendo da atividade que a empresa explora. 

Lucro Real

É a tributação mais complexa que existe, mas pode ter diversos benefícios para as empresas que têm muitas despesas.

Isso porque, consideram-se esses valores para reduzir a base de cálculo do IRPJ e CSLL. 

Nota-se que para a definição desse regime é de extrema importância que você analise todas as receitas e principalmente as despesas. 

7. O que são obrigações acessórias?

As chamadas obrigações acessórias são as informações encaminhadas aos órgãos tributantes. 

No entanto, a quantidade de declarações que você deverá enviar depende do regime tributário onde você está inserido. 

Entre as mais conhecidas está o SPED- Sistema Público de Escrituração Digital, um programa criado pela Receita Federal para facilitar o envio das informações do empreendedor aos órgãos tributantes. 

A seguir, conheça algumas das obrigações acessórias: 

  • PED ICMS/IPI: enviado para as Secretarias de Estado da Fazenda, demonstrando a apuração do ICMS ou para a Receita Federal, a fim de comprovar a apuração do IPI;
  • ECD (SPED Contábil): substituiu o Balanço Patrimonial, registrado na Junta Comercial das empresas tributadas pelo Lucro Real e Presumido;
  • ECF: A Escrituração Contábil Fiscal substitui a antiga Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (DIPJ).

8. Quais são as principais peças contábeis da minha empresa?

As peças contábeis de uma empresa são fundamentais para guiar os passos e tomadas de decisão de um gestor. 

A seguir, listamos detalhadamente as principais demonstrações contábeis que a sua empresa deve emitir. 

Balanço Patrimonial

É através dele que se torna possível verificar o saldo das contas de caixas, bancos, clientes a receber, fornecedores e até mesmo os empréstimos que a empresa ainda deve. 

Ou seja, o balanço patrimonial é fundamental para se ter uma visão ampla do patrimônio como um todo. 

Demonstração de Resultados

Enquanto o balanço avalia toda a parte financeira, a Demonstração de resultados serve para demonstrar o lucro ou prejuízo que a empresa teve em um período. 

Através da Demonstração é possível visualizar todos os gastos e receitas que o empreendedor teve durante o ano. 

Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC)

A Demonstração do fluxo de caixa é para analisar a entrada e saída de recursos em espécie do seu caixa ou conta bancária. 

O documento será de apresentação obrigatória para algumas empresas e deve compor obrigações acessórias, como o SPED contábil.

Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL)

Por meio da Demonstração é possível identificar como o patrimônio líquido da sua empresa variou ao longo de um tempo. 

Essa é uma excelente ferramenta de gestão para o seu negócio, algumas empresas são obrigadas a apresentarem esse documento para a Receita Federal, junto ao seu Balanço Patrimonial e Demonstração de resultados. 

Assessoria gratuita

9. Qual a diferença entre custos, despesas e investimentos?

Para simplificar, as despesas são gastos corriqueiros do dia a dia da empresa, mas que não têm vínculo direto com os produtos ou serviços que são oferecidos pelo seu negócio. 

Os custos, por sua vez, são gastos que possuem relação direta com a produção, vendas ou prestação de serviços do empreendedor. 

Além disso, os investimentos também podem ser classificados como gastos, entretanto, estes têm o objetivo gerar retornos financeiros para a empresa. 

10. Qual é a diferença entre custos fixos e variáveis?

Os custos são os gastos necessários para colocar o seu serviço ou produto à disposição do seu cliente. 

Portanto, os gastos fixos são aqueles que não mudam mesmo com o aumento ou diminuição das vendas. 

Já os gastos variáveis são aqueles que sofrem mudanças de acordo com a quantidade de produtos ou serviços vendidos. 

11. O que é capital de giro?

Capital de giro é o montante necessário que o microempreendedor precisa para fazer a empresa funcionar. 

Ele pode ser obtido através de sócios ou até mesmo através de empréstimos bancários. 

Entenda que o capital é fundamental para o seu negócio e a falta dessa aplicação pode prejudicar as suas operações. 

Sem o capital de giro, a empresa pode ficar sem recursos suficientes para comprar mercadorias para comercialização, produção ou prestação de serviços. 

12. O que é o ponto de equilíbrio 

Nada mais é do que uma métrica que mensura o momento em que todos os gastos de uma empresa é igual ao volume da receita gerada por ela. 

Esse dado é importante para que os gestores saibam o quanto ainda precisam vender para quitar todos os custos gerados. 

Para realizar o cálculo, você poderá contar com um contador de sua confiança, pois ele possui a expertise necessária para avaliar as métricas corretamente. 

13. Como apurar o lucro de um negócio

Para realizar os cálculos, recomendamos que você procure um especialista em questões contábeis. 

Isso porque, para realizar os cálculos será necessário reunir todas as receitas e também despesas da empresa, durante um período. 

Além dos gastos da empresa, também é necessário incluir, no cálculo, os tributos e valores pagos aos funcionários e demais despesas trabalhistas.

14. Controle de estoque: o que é e como fazê-lo

O controle de estoque é um procedimento que gerencia a quantidade de produtos armazenados para serem utilizados na prestação de serviços, produção e na revenda. 

Quando o controle não é realizado da maneira correta, o empreendedor poderá ter problemas ao receber determinadas demandas. 

Portanto, é de extrema importância ter um controle de estoque eficiente e preferencialmente, de maneira automatizada. 

15. Qual a diferença entre preço de custo e de venda?

O preço de custo é o montante que o produto ou serviço utilizou para ser disponibilizado para o seu cliente. 

Para realizar este cálculo é necessário incluir gastos como compras, fretes, colaboradores (quando houver), tributos e outros. 

Já o preço de venda é o valor que chegará para que o seu cliente consuma o seu produto/serviço. 

  Quer empreender? A Tupi Brazil Solution pode te ajudar nessa nova etapa 

Hoje a Tupi Brazil Solution é mais do que uma das principais empresas no setor contábil no Brasil também auxiliamos gestores e empreendedores que desejam organizar o seu negócio. 

Há mais de 4 décadas no mercado, a Tupi Brazil Solution tem auxiliado os gestores no planejamento financeiro, fiscal e contábil no âmbito nacional e internacional.

Gerenciar uma empresa e empreender não é uma tarefa simples e por isso, as questões financeiras, contábeis não devem se tornar um problema para você.

Por isso, é fundamental compreender a importância de se contratar uma empresa de contabilidade que o contador seja consultivo na sua empresa, para atuar em parceria com a sua organização, no desenvolvimento na prática de seus processos e sistemas integrados.

Pois, profissionais qualificados colaboram diretamente para o crescimento da sua organização, evitando que problemas tomem o seu tempo e comprometam o seu crescimento.

Se você precisar de uma empresa com profissionais especialistas e que podem te auxiliar a empreender, entre em contato conosco — nós podemos te ajudar!

Preencha o formulário e em breve entraremos em contato

Deixe um comentário